Luxação de Patela

A luxação de patela é a anormalidade número um dos joelhos dos cães, mas é vista nos gatos ocasionalmente. Ela pode afetar um ou ambos os joelhos. Em alguns casos a patela se move (luxa) em direção à parte interna do joelho e em outros casos ela luxa em direção à parte externa. A luxação para a parte interna é a forma mais comum, e é vista comumente em raças miniaturas de cães como Poodles, Malteses, Yorkshires e Chiuauas. As luxações em direção à parte externa do joelho são mais raras. Elas podem estar presentes em várias raças, mas são comuns em cães da raça Terra Nova.


Existem quatro graus em uma luxação de patela:
Grau I - A rótula pode ser manualmente luxada, mas retorna à sua posição original quando a pressão é liberada.
Grau II - A rótula luxa fora de posição espontaneamente com a movimentação normal do joelho.
Grau III - A rótula permanece luxada na maioria das vezes, mas pode ser manualmente reduzida à posição correta.
Grau IV - A rótula fica permanentemente luxada e não pode ser reposicionada.


Os cães frequentemente iniciam com Grau I ou II e pioram com o passar do tempo para um Grau III ou IV. Muitas pessoas não reparam que seu pet sofre com essa condição e a luxação pode causar dor. Os donos podem ver seu pet mancando da pata traseira ou podem vê-lo sacudir a perna traseira na tentativa de reposicionar a patela corretamente.


Uma consequência grave da luxação patelar é que esta condição pré dispõe o cão à ruptura de um ligamento dentro do joelho chamado de ligamento cruzado anterior. As rupturas de ligamento cruzado anterior são muito dolorosas, pelo menos inicialmente, e geralmente o cão não consegue suportar seu peso na pata afetada. Cirurgia é o tratamento indicado para qualquer caso que esteja causando claudicação ou dor. Os donos também podem optar pela cirurgia corretiva da luxação como meio de evitar a ruptura do ligamento cruzado anterior.